DESTAQUE

Siga nas Redes Sociais:

ALÉM DAS PALAVRAS


COMUNICAÇÃO E SEUS MISTÉRIOS

Se comunicar é muito mais que apenas falar, este é um dos desafios do autismo!

Comunicação é sempre uma icógnica dentro do universo autista.
Isto porque uma pessoa com autismo pode: falar funcionalmente; falar não funcionalmente ou até mesmo não falar!  Mas sabemos que comunicar e falar andam juntas, mas não são a mesma coisa...
E esta dúvida é motivo de anciedade, angustia e frustração. Tanto para pais e cuidadores, assim como para os mais afetados  com isso, que são os próprios autista!

PRISÃO SEM MUROS

Normalmente os bebês por volta de seis meses começam a entender o idioma.  E através da interação com outras pessoas e da imitação aprendem a falar e se comunicar com o mundo a sua volta.
Mas uma criança com TEA tem dificuldade nesta interação e consequentemente não atinge o desenvolvimento esperado.
Imagine precisar de alguma coisa e não conseguir expressar isto?  Perceber que algo está errado e não conseguir se pronunciar?  É angustiante não?
E pode acreditar, o fato de seu filho não falar, não significa que ele não percebe o que está acontecendo a sua volta.
É bem comum as pessoas dizerem "... Mas ele ficou assim do nada!" se referindo a uma crise nervosa de uma pessoa com TEA.
Mas tenha certeza,  aquela crise teve como causa algo que gerou incômodo e esta pessoa não conseguiu expressar o que a perturbou!
Para um autista o desafio é grande quando não consegue expressar o que se passa consigo.
Isto porque existe dificuldade em usar e entender expressões sejam elas faciais ou subjetivas, e também as palavras.

Falar Sem Palavras

Como responsáveis por estas pessoas precisamos trabalhar hoje,  para que no futuro nossos amados conquistem sua independência.
E um de nossos desafios está em desenvolver a comunicação funcional,  de modo que eles consigam alcançar sua autonômia.  Ou seja precisamos dar voz aqueles que não sabem como fazer isso!

Explorando Possibilidades

É onde entra a Comunicação Alternativa.  Com ela pessoas que incialmente não conseguiam se expressar encontram possibilidades fantásticas que podem mudar suas vidas e daqueles que convivem com eles.
E em alguns casos, como aconteceu com Pedro Henrique, pode ajudar no desenvolvimento da verbalidade!
Uma boa opção é o PECs, neste tipo de comunicação alternativa,  são disponibilizadas figuras em cartões para que a pessoa possa  expressar aquilo que necessita ou sente.
Mas vá além...
  • Esteja atento a coisas que ele gosta e invista tempo brincando com ele.
  • Invista tempo em conversar com seu filho.  Sei que ele pode nem mesmo ficar parado ao seu lado para ouvir; ou mesmo  olhar na sua direção enquanto fala.  Mas fale com ele!
  • Perceba coisas que ele gosta, e "converse" sobre o assunto.  Mesmo que você faça as perguntas e você mesmo as responda!
  • Conte histórias curtas, e no lugar do nome dos personagens diga o nome da criança.  Use tipos diferentes de tons e vozes para os personagens.
Sei que pode parecer coisa de doido, mas aqui em casa este caminho funcionou!  Não existe garantias de que funcione aí com você, mas vale tentar!
Hoje aos nove anos, Pedro Henrique não tem uma conversa 100% funcional,  mas se comunica muito bem!  Mas nossa estrada está só começando, ainda temos muito que percorrer!  Mas chegaremos lá!
Seu filho pode não entender do que você está falando, como o meu também não entendia muitas vezes.  Mas o importante nesta jornada é que nossos filhos percebam que QUERMOS NOS COMUNICAR COM ELES!

Comentários