DESTAQUE

Siga nas Redes Sociais:

CUIDADO COM O CORPO - PARTE 2


Todo Cuidado É Bem vindo

O desafio da Higiene Pessoal - Parte 2

cuidado com o corpo - parte 2
Ensinar um autista sobre o cuidado com sua higiene é uma tarefa de formiguinha... Mas é possível!

   Cuidado com o próprio corpo é algo que  necessita de atenção, e no caso do portador de autismo, na maioria do tempo precisa também de supervisão.   Pois como mencionei no post anterior, o cuidado com a higiene  sempre foi motivo de desconforto para Pedro Henrique.
     Não se pode viver sem banho, corte e penteado de cabelos, muito menos com as unhas enormes, a não ser que se pretenda entrar para o Gines Book.  Como aqui em casa não é nossa meta,  ao descobrir o que estava acontecendo, fomos procurando meios de resolver o desconforto.
     Foi necessário encontrar uma maneira de mudar as situações com o cuidado pessoal de meu filho.
     Então começamos a tomar alguns cuidados simples que ao longo do tempo foram surtindo efeito.       Algumas coisas não faço mais, como a estratégia do corte da unha, mas nada funcionou rápido, foi necessário aguardar o tempo dele para surtir efeito.

Estratégia Inusitadas

  • Para lavar a cabeça, além de combinar um dia específico na semana, consegui ensinar Pedro Henrique a ficar com a cabeça para trás durante a aplicação do shampoo.
         Mas neste caso não se trata só do incômodo do sabão ardendo nos olhos, ou o cheiro do produto.
            Existe a necessidade de sentir que o corpo está seguro ( este é assunto para uma outra postagem, pois é bem útil falar sobre o equilíbrio dos autistas),  então ou ele senta em um banco dentro do box, ou segura a minha cintura durante todo o processo.
  • Já na escovação, uso o creme dental comum, porque aos nove anos, não é mais funcional utilizar o creme dental sem flúor, porém eu utilizo os dois: com flúor por baixo e sem flúor por cima,  para amenizar o impacto no início da escovação.
  • No corte das unhas, comecei a contar a história da família tatu.  Cada dedo era uma tatu diferente.  Tinha do pai até o bebê tatu.  Mas a "técnica" era fazer caras e vozes para cada um e no final tinha o respeitável: _Sai tatu!  Se ele entendia a história eu não sei, mas funcionou!
  • Para o corte de cabelo, precisamos de muita persistência até encontrar uma barbeiro com paciência e muitas balas  e pirulitos para dar a ele no fim do corte.   Para nossa felicidade o barbeiro cativou nosso pequeno e hoje ele já pede para cortar.

Ainda Temos Desafios

      Ainda hoje o cuidado pessoal é um pouco complicado, mas temos melhorado a cada dia.
      Pedro Henrique tem amadurecido com a idade, e por isso é mais fácil conversar com ele e ensinar o motivo das coisas, se bem que nem sempre ele compreende o sentido real do que dizemos.
      Mas o caminho ainda é bem longo, porém vamos firmes e constantes.  Porque não podemos nos permitir desistir!

Comentários