DESTAQUE

Siga nas Redes Sociais:

NÍVEIS DE COMPROMETIMENTO DO AUTISMO



NÍVEIS DIFERENTES EM UM SÓ TRANSTORNO

níveis de comprometiemento do autismo
Achar que todos os autistas são iguais é um grande erro, pois existem níveis de comprometimento diferentes, e isso gera impactos muito diferentes em cada indivíduo.

Você sabe que o Autismo possui níveis de comprometimento?
O Transtorno do Espectro Autista não é uma coisa só, como muitos podem pensar.  Não que existam vários tipos de autismo, mas quero dizer que existem níveis diferentes.
Os níveis podem ser: leve, moderado ou severo.  E conhecer esta faceta do transtorno nos ajuda a lidar com a situação de modo mais assertivo.

    O que determina cada um desses níveis?

Falando de modo leigo,  quanto mais leve o comprometimento, maior a independência dessa pessoa. Para estes indivíduos é possível alcançar uma rotina bem próxima a considerada normal.
Claro que muitas das características do transtorno persistirão em suas vidas, e mesmo com um nível de comprometimento leve, estas pessoas não estão livres de passar por: esteriotipias, dificuldade para lidar com situações inusitadas e mudanças de rotina; de um surto de crise nervosa, quando algo lhes causa ansiedade e/ou insegurança.
Que o digam mães, pais e cuidadores de crianças consideradas com comprometimento leve... Tudo está bem, e quando menos se espera o clima  muda! Um furacão passa arrasando tudo.
A sensação de frustração e cansaço físico é indescritível! E dependendo da situação, demora-se muito para descobrir o que gerou a crise. Em alguns casos, a situação vem tão subitamente, que não se consegue identificar o que aconteceu...
E acredite, sempre existe uma causa que gera a crise. É enganosa a ideia que a crise "veio do nada"!
Estas pessoas aprendem ao longo de suas vidas a realizar atividades cotidianas de modo independente, precisando de pouco ou nenhum apoio para isso.
Por outro lado temos uma outra extremidade deste transtorno, que são os níveis  de comprometimento mais severos.  Para estes indivíduos e suas famílias a vida é muito mais difícil e restritiva.
Para eles a independência é um sonho distante... De um modo geral o autismo com comprometimento severo impede a comunicação do indivíduo com o mundo a sua volta.  É muito difícil para eles espessar o que sentem, ou mesmo aquilo que necessitam.

Na Vida Prática

Isso é fácil de entender se observarmos as seguintes situações:
Existe pessoas portadoras de Autismo que desenvolvem uma vida profissional bem sucedida, se casam, fazem faculdade, e possuem uma vida próxima ao que se considera normal;
Outros não são capazes se quer de se alimentar sozinhas, não conseguem falar, parecem alienadas do que ocorre a sua volta...
Devido a dificuldade na comunicação, as crises nervosas neste nível de comprometimento são muito mais frequentes.
Contudo é errônea a ideia que quanto mais leve o nível do autismo do indivíduo, mais branda será a crise nervosa que o afetará.
Quando a crise ocorre, todos os portadores de autismo, independente de seu comprometimento, tem a mesma perda de noção;  o desgaste físico e emocional é sempre intenso e angustiante, e eles precisam de um tempo para retomar o equilíbrio.
Para as famílias, não existe uma receita pronta para lidar com isto. Somente o cotidiano repleto de muito amor, paciência e jogo de cintura é que vão habilitar cada pai, mãe e cuidador a encontrar uma maneira de prosseguir a cada dia nesta jornada que é o autismo.
Não tenho um conselho a dar, mas sim uma dica, que já passei antes, busque grupos de apoio as famílias nas redes sociais. Compartilhe suas experiências e ouça o que outras famílias tem feito para ajudar seus familiares que vivem esta situação.
     E JAMAIS OUÇA QUANDO LHE DISSEREM QUE É IMPOSSÍVEL! Afirmo que é trabalhoso alcançar a evolução de nossos filhos, mas É POSSÍVEL evoluir sempre!
Por mais severo que seja o grau de comprometimento de seu filho, com paciência e muita observação você conseguirá encontra meios de estimula-lo.
Então persista! E acredite que é possível!
Um grande abraço.

Comentários