DESTAQUE

Siga nas Redes Sociais:

SAI DE CASA COM SEU AUTISTA!


FÉRIAS COM O PÉ NA ESTRADA

sai de casa com seu autita
Eles tem energia de sobra, o que fazer com tudo isso?  Sair de casa e deixa-los explorar novas possibilidades! 

Lugar de criança é onde eles possam aprender e se divertir ao mesmo tempo!
Eu sei que bato muito na tecla do "SAI DE CASA COM SEU AUTISTA!", mas faço isto porque acredito que tirar nossos filhos de casa também é uma terapia!

Sei que cada criança é de um jeito e que devido as caracteristicas do transtorno, não existe como definir o que se aplica ou não,  a cada pessoa, sem que se faça uma avaliação pessoal de caso a caso.

Não tenho a idéia utópica e ingênua de achar que todas as atividades se aplicam a todos os casos, pois o trantorno é complexo em extremo, e o que afeta um, nem sempre afeta o outro!

Vários Lados Da Mesma Moeda!


Tenho dois exemplos muito presentes na igreja que frequento.
Pedro Henrique que dependendo do volume do som, se incomoda e quer vir para casa;
Um adolescente, que também tem o transtorno, e é baterista e toca violão no grupo de louvor.
Duas pessoas que  estão no mesmo ambiente e tem reações diferentes!
E isto se aplica a todas as esferas da vida.
Diria que esta é a única regra que se aplica a todos os autistas: CADA CASO É UM CASO!

Novos Ares E Lugares


Estas férias tenho feito algumas atividades com dois grupos distintos, que em alguns momentos já estiveram juntos em atividades recreativas externas,  e nossas crianças apresentam graus diferentes do transtono, mas ainda assim, se divertem e interagem bem!
Não estou dizendo com isso que seja a coisa mais fácil do mundo e que durante nossos passeios, não aconteceram alguns contra tempos... Nem de longe imagine isso!
Até porque estamos falando de CRIANÇAS... E essas criaturinhas são mestres em inventar moda e esbanjar energia!
Com eles, se piscamos já aprontaram!
Houve um monento em que Pedro Henrique estava empenhado em fazer uma traquinagem, e eu chamando por ele,  e insistindo para que parasse com aquilo... Vinha uma senhora em minha direção, que me olhou nos olhos, tocou no meu ombro,  e disse:  "Deus te abênçoe!" E seguiu seu caminho...
Nós só fizemos rir, porque haviam outras duas amigas ao meu lado, e entendemos bem o que ela queria dizer...

Nem Sempre São Flores

Esta semana fizemos um passeio a Ilha de Paquetá e a coisa ficou complicada...
Não sei dizer se foi fome, sede ou cansaço... Mas o fato foi que Pedro Henrique ficou extressado e tudo era motivo de choro e reclamação.
Nós fomos caminhar e deixamos a blusa dele com uma das mães que resolveu ficar na areia. No meio do caminho ele resolveu que não queria andar pela ilha sem blusa!  
A coisa ficou difícil a um ponto, em que eu tive que tirar minha blusa e dar para ele.  Uma das avós que estava lá, conversou com ele; e depois de algum tempo, algumas lágrimas e muita paciência, tudo voltou ao normal!
E ele se divertiu a valer!

 Se Superando

Nossos filhos tem suas dificuldades e limitações, mas não podemos deixar de tantar!
Sei que é necessário toda uma análise da situação antes de decidir se vamos ou não propor uma nova atividade a eles.
Não importa se esta atividade é a pracinha de nossa rua ou uma viagem ao exterior.
Mães, tentem!  Não forcem que eles participem, mas não desanimem de tentar!
Precisamos investir em atividades da vida real, para que eles tenham vivencias que vão além das terapias de consultório.
Isto, a meu ver, é uma maneira de ajudá-los a superar suas limitações.  E no futuro, com certeza serão experiências que só terão benefícios a lhes acrescentar!

Comentários