DESTAQUE

Siga nas Redes Sociais:

SUPERVIA DISFUNCIONAL

Um Transtorno Desnecessário!

Supervia Disfuncional
O direito a prioridade para autistas, em filas, não tem acontecido nas bilheterias das estações de Trem no Rio de Janeiro. É hora de mudar isso!

Enfrentar  conduções lotadas, onde por falta de consciência, cidadãos utilizam indevidamente acentos preferênciais e quando confrontados, se recusam a ceder o lugar, com as alegações mais estapafúrdia possíveis.
O tempo de espera entre um ônibus ou trem pode levar  mais de uma hora.
Em dias quentes nem pensar em ar condicionado!
Estes são alguns dos problemas que nossa cidade vive em relação ao transporte público, mas além de tudo isso, quem possui necessidades especiais, ainda precisa enfrentar um outro problema, filas para ter acesso as estações de trem!

Disfuncional É Sinônimo Quando Se Fala Nos Acessos As Plataformas De Trem


Atualmente é necessário um verdadeiro calvário para que o usuário possa  garantir o seu acesso as plataformas de embarque.
Primeiro o usuário se dirige ao guichê onde se compra a passagem, porém este guichê é utilizado por usuários pagante e não pagantes, o que gera filas longas.
Depois enfrenta outra fila nas roletas, e por fim, como na maioria das estações não existe plataforma prioritária, as pessoas portadoras de necessidades especiais, precisam enfrentar um grande tumulto para embarcar em trens lotados!
Fora do horários de hush, as coisa são "menos piores", mas ainda assim ficam muito distantes do que se pode considerar um transporte digno!

Pequenas Mudanças Movem O Mundo

A questão é simples de resolver, e facilitaria a vida muitos usuários do serviço.
Se ao invés de obrigar usuários com direito a gratuídade a enfrentar a fila nos guichês de pagamento, a SuperVia utilizasse o mesmo sistema que outros Transportes Públicos, onde ao invés de enfrentar filas nos guichês de pagamento, houvesse catracas destinadas exclusivamente aos usuários com direito a gratuídade, um dos grandes problemas seria solucionado.
Esta medida já utilizada em outras opções de transporte, como  Barcas e Metrô.  O usuário chega nestas catracas  e lá existe um funcionário para liberar a passagem, bastando para isso aprensentar o cartão de gratuidade com a foto do usuário.
No BRT a questão foi resolvida de maneira melhor ainda, existe um guarda na catraca para verificar os passes,  mas não é mais necessário que ele libere o acesso dos usuários , que ao passar  o cartão tem a roleta liberada automaticamente.

Com A Boca No Trombone!

Como cidadã e mãe, acredito que não adianta ficar só reclamando!
É preciso que nos movamos e façamos pressão solicitado uma mudança neste sentido!
Precisamos nos unir e entrar em contato com a ouvidoria da  SuperVia solicitando uma mudança desta situação.
Sei que parece pouco quado somente uma família reclama, mas se todos nós começarmos a reindicar eles terão que nos ouvir!
Porque só quem já teve que enfrentar um filho em crise numa fila onde as pessoas não liberam a vez, e fingem que não estão vendo a angústia dele,  por precisar ficar em uma fila descessária, conseguirá entender o motivo deste meu post!
Meu apelo, é na verdade uma convocação!  Que vocês possam compartilhar este post, até que outras famílias se unam a este apelo, e as coisas possam mudar e chegar um pouco mais perto de uma realidade digna!

Comentários