DESTAQUE

DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES

Siga nas Redes Sociais:

MÉTODO PADOVAM



CONHECENDO O MÉTODO

Método Padovam
Aprendendo ou recuperando funções, este método busca capacitar autistas  a alcamçar autonomia real!

       Este método foi criado pela Fonoaudióloga e Pedagoga Beatriz Padovan, após perceber  casos de dislexia em crianças da escola que trabalhava.  Este fato despertou seu desejo por auxilia-los de modo eficaz.
      O que se busca com esta técnica é estimular o amadurecimento do sistema nervoso central.
      Acredita-se que com a utilização correta desta técnica,  a pessoa que sofre com o TEA  (porque o método pode ser aplicado também em outros transtonos e patologias), alcançará gradativamente amadurecimento genético,  e coseguirá adquirir capacidades que são importantes para sua autonomia, como: pensamento, locomoção e linguagem.
       O objetivo final  é  preparar o organismo para  que possa aprender ou recuperar funções e capacidades, ou seja, capacitar este paciente possa recuperar funções nunca adquiridas ou que foram perdidas.

CoEsperança Em Dois Passos

       O método é dividido em:
  1. Exercícios Corporaes,  com o objetivo de estimular a maturação deste indivíduo, onde se busca recaptular o desenvolvimento desde o ínício: rastejar, engatinhar, ficar de pé e caminhar.
  2. A segunda parte é a estimulação das funções orais: mastigação,  respiração, sucção e deglutição.

Foco No Ser Humano E Não No Transtorno

      Esta técnica tem seu foco no ser humano e não naquilo que lhe aflige e limita,  e pode ser aplicada em pessoas de qualquer idade.
     Como existem casos em que o método foi utilizado em pacientes que estavam em leitos de UTI, acredita-se que esta técnica pose ser usada sem  necessáriamente precisar da colaboração do paciente.
     Sua utilização é  ampla, pode ser aplicada ao sistema nervoso para: cura, prevenção ou manutenção do sistema nervoso.

Avaliando Caso a Caso


       Deixo claro que não tenho o objetivo de prescrever, apenas informar sobre algumas opções que podem agregar melhor qualidade de vida a autistas e suas famílias.
      Como tudo na vida,  todo o procedimento tem prós e contras, e a decisão por qualquer um deles, deve sempre partir da análise da realidade da pessoa a quem se deseja aplicar o mesmo.